Revista Adolescência e Saúde

Revista Oficial do Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente / UERJ

NESA Publicação oficial
ISSN: 2177-5281 (Online)

Vol. 14 nº 4 - Out/Dez - 2017

Artigo Original Imprimir 

Páginas: 133 a 142

Percepção de saúde do adolescente brasileiro: uma abordagem intergeracional baseada na Pesquisa Nacional de Saúde

Health perception of the Brazilian adolescent: an intergenerational approach based on the Brazilian Health Survey



Autores: Rebeca Carmo de Souza Cruz1; Luiz Alexandre Rodrigues da Paixão2; Marília Miranda Forte Gomes3; Leides Barroso Azevedo de Moura4

PDF Português            

Descritores: Adolescente, saúde do adolescente, equidade, equidade em saúde.
Keywords: Adolescent, adolescent health, equity, health equity.

Resumo:
OBJETIVO: Analisar o peso da intergeracionalidade sobre o potencial de saúde dos adolescentes brasileiros, baseado na percepção do estado de saúde de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) realizada em 2013. O artigo inova ao inserir a intergeracionalidade na saúde com informações da PNS na perspectiva do curso de vida na etapa da adolescência.
MÉTODOS: Trata-se de estudo transversal para identificar a associação intergeracional da percepção de estado de saúde no Brasil com o uso dos dados da PNS. Foi proposto um modelo logístico em que o estado de saúde do adolescente é previsto pela condição de saúde dos pais, com variáveis explicativas baseadas em características sóciodemográficas.
RESULTADOS: Os responsáveis com percepção negativa da saúde tem 8,2 vezes mais chances de ter um filho adolescente com a mesmo percepção de saúde. Adolescentes do sexo feminino têm mais chance que seus pares do sexo masculino apresentaram percepção negativa da saúde, e aqueles que residem na região Sul têm menores chances de terem seu estado de saúde reportado negativamente em relação aos adolescentes das demais regiões brasileiras. A percepção de saúde dos responsáveis se mostrou significativamente associada com a percepção dos adolescentes, principalmente a variável raça/cor do adolescente.
CONCLUSÃO: A percepção negativa do estado de saúde dos adolescentes brasileiros foi associada a fatores intergeracionais, com destaque para os determinantes sociais da saúde. Recomenda-se ações específicas de promoção de saúde relacionadas com a transmissão de potencial de saúde intergeracional.

Abstract:
OBJECTIVE: Analyze the weight of intergenerational factor on the potential health status of Brazilian adolescents. Our study was based on the variable of reported health status in the National Health Survey (PNS) conducted in 2013. The article innovates by inserting an intergenerational transmission of health using PNS.
METHODS: It is a cross-sectional study to predict the perception of health status in Brazil using PNS database. It was proposed a logistic model in which reported health status of teenagers is predictby reported health condition of theirparents, including controlling variables of schooling and sociodemographic characteristics.
RESULTS: Parents reporting poor health status have 8.2 times more chances of having their children with same health status. Female adolescents are more likely to have negative health statusthan their male counterparts. Adolescents living in the South of Brazil are less likely to present negative health status when compared to adolescents in other Brazilian regions. Parents' health perception was shown to be significantly associated with the adolescents' perception, especially when considering teenagers racial origin.
CONCLUSION: Poor perception of the health status of Brazilian adolescents was associated with intergenerational factors, especially the ones associated tosocial determinants of health. It is recommended specific health promotion actions related to the transmission of intergenerational health potential.

<<<<<<< .mine

GN1 © 2004-2018 Revista Adolescência e Saúde. Fone: (21) 2868-8456 / 2868-8457
Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente - NESA - UERJ
E-mail: secretaria@adolescenciaesaude.com