Revista Adolescência e Saúde

Revista Oficial do Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente / UERJ

NESA Publicação oficial
ISSN: 2177-5281 (Online)

Vol. 15 nº 1 - Jan/Mar - 2018

Artigo Original Imprimir 

Páginas: 50 a 57

Análise de partos em adolescentes e repercussões perinatais em uma maternidade pública na Amazônia

Analysis of childbirth's aspects in adolescents and perinatal outcomes in a public maternity in the Amazon



Autores: Natália Noemi Dias da Silva1; Laís Nogueira Chaves2; Larissa Nogueira Chaves3; Aljerry Dias do Rêgo4; Danielle Barboza Araújo5

PDF Português            

Descritores: Gravidez na adolescência, prematuro, recém-nascido de baixo peso.
Keywords: Pregnancy in adolescence, premature, infant, low birth weight.

Resumo:
OBJETIVO: Analisar e comparar a frequência de partos entre adolescentes e mulheres adultas, as possíveis associações entre idade materna e resultados perinatais (idade gestacional, Apgar no quinto minuto, peso ao nascer), e a via de parto ocorridos no Hospital da Mulher Mãe Luzia, na cidade de Macapá-Amapá entre janeiro e dezembro de 2014.
MÉTODOS: Estudo retrospectivo e transversal usando dados oriundo dos prontuários do Hospital da Mulher Mãe Luzia referentes aos partos realizados em 2014. As variáveis analisadas foram: idade gestacional, via de parto, Apgar no quinto minuto e peso ao nascer.
RESULTADOS: Em 2014 ocorrerram 7.762 partos, sendo 2.254 adolescentes (29,04%), distribuídos nas faixas etárias de 10 a 14 anos (8,03%) e de 15 a 19 anos (91,97%). Notou-se maiores taxas de prematuridade entre as adolescentes, com índices maiores no subgrupo 10-14 anos (20,4%). Adolescentes também apresentaram maior percentual de recémnascidos com baixo peso ao nascer (11,1% contra 8,6% nas adultas), com resultados mais preocupantes na faixa etária de 10-14 anos (14,4%). Analisando-se o Apgar <7 no quinto minuto, observou-se diferença mínima entre os dois grupos (1,3% nas adolescentes e 1,2% nas adultas). A proporção de parto cesáreo foi de 37,3% para as parturientes adultas e 28,7% nas adolescentes.
CONCLUSÃO: A proporção de gravidez na adolescência no Hospital da Mulher Mãe Luzia foi maior em relação à média nacional, observando-se desfechos piores quanto a prematuridade, peso ao nascer e via de parto, com diferença mínima na variável Apgar no quinto minuto.

Abstract:
OBJECTIVE: Evaluate and compare the frequency of childbirths betweeen adolescents and adult women, the possible associations between mother age and perinatal arrives (weight, gestational age and Apgar 5'), and delivery mode of childbirth occurred at Mulher Mãe Luzia Hospital in the city of Macapá - Amapá between January and December 2014.
METHODS: A retrospective and cross-sectional study using Mulher Mãe Luzia Hospital´s deliveries database in 2014. The analyzed variables were: pregnancy age, delivery mode, Apgar 5' and birth weight.
RESULTS: In 2014 occurred 7,762 deliveries, 2,254 being adolescents (29.04%), distribuited between 10 to 14 years old (8,03%) and 15 to 19 years (91,97%). It was noticed that premature delivery had bigger rates in the adolescents group, with higher index in the 10-14 years old subgroup (20.4%). Adolescents also presented higher percentageof low birth weight (11.1% against 8.6% in adult women), more concerning results in the group with 10-14 years (14.4%). Analyzing the Apgar 5'<7, it was noticed a minimal difference between the two groups (1.3% in adolescents and 1.2% in adults).
CONCLUSION: The proportion of teenage pregnancy at Mulher Mãe Luzia Hospital was considered high in relation to the national average, noticing worse outcomes regarding premature birth, low birth weight and type of delivery, with a minimal difference in the variable Apgar 5'.

<<<<<<< .mine

GN1 © 2004-2018 Revista Adolescência e Saúde. Fone: (21) 2868-8456 / 2868-8457
Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente - NESA - UERJ
Boulevard 28 de Setembro, 109 - Fundos - Pavilhão Floriano Stoffel - Vila Isabel, Rio de Janeiro, RJ.
E-mail: revista@adolescenciaesaude.com