Revista Adolescência e Saúde

Revista Oficial do Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente / UERJ

NESA Publicação oficial
ISSN: 2177-5281 (Online)

Vol. 15 nº 3 - Jul/Set - 2018

Artigo Original Imprimir 

Páginas: 60 a 68

Gravidez em adolescentes: análise da macrorregião do sul/sudoeste de Minas Gerais, Brasil

Pregnancy in adolescents: analysis of the south/southwest macroregion of Minas Gerais, Brazil



Autores: Michelly Esteves Ribeiro1; Sandra Cristina Pillon2; Clícia Valim Côrtes Gradim3

PDF Português            

Descritores: Adolescente, gravidez na adolescência, gravidez, parto.
Keywords: Adolescent, pregnancy in adolescence, pregnancy, parturition.

Resumo:
OBJETIVO: O estudo teve como objetivo avaliar as características relacionadas à gestação e tipo de parto em adolescentes.
MÉTODOS: Trata-se de um estudo do tipo transversal, com amostra de 11617 adolescentes da macrorregião sul/sudoeste de Minas Gerais que compreende 154 municípios avaliados entre 2000 a 2013 por meio do Sistema de Declarações de Nascidos Vivos do DATASUS. Foram avaliadas as seguintes variáveis: dados sociodemográficos, obstétricos (duração da gestação, número de consultas de pré-natal, tipo de parto e gestação) e neonatais (peso ao nascer, Apgar no 1º e 5º minuto após o nascimento e anomalias).
RESULTADOS: Entre os adolescentes analisados verificou-se predominância de idade entre 17-19 anos (62,9%) e 48,1% tinha baixa escolaridade. As adolescentes realizaram sete ou mais consultas de pré-natal (62,2%); gestação foi entre 37 e 41(88,4%), gravidez não gemelar (99,2%), sem anomalias (84,5) e predominância de parto vaginal (51%). Verificou-se que ter Ensino Médio (OR = 1,7) e, Superior (OR = 1,9), não realizar consultas de pré-natal (OR = 2,0) e a presença de algum tipo de má-formação (OR = 2,1), influenciou em quase duas vezesna razão de chance de ter filhos por cesariana.
CONCLUSÃO: Os dados apontam para a importância de incrementar estratégias educativas durante as consultas de pré-natal promovendo orientações às adolescentes em relação ao tipo de parto e gestação, considerando a alta vulnerabilidade dos agravos gestacionais e perinatais; com ações humanizadas voltadas a valorização do parto vaginal.

Abstract:
OBJECTIVE: This study aimed to evaluate the characteristics related to gestation and type of delivery in adolescents.
METHODS: This is a cross-sectional study with a sample of 11617 adolescents from the southwest macroregion of Minas Gerais, comprising 154 municipalities evaluated between 2000 and 2013 through the DATASUS Live Births System. The following variables were evaluated: demographic data, obstetric data (duration of gestation, number of prenatal consultations, type of delivery and gestation) and neonatal (birth weight, Apgar at 1 and 5 minutes after birth and abnormalities).
RESULTS: Among the analyzed adolescents the prevalence age was between 17-19 years (62.9%) and 48.1% had low schooling. The adolescents performed seven or more prenatal consultations (62.2%); gestation was between 37 and 41 (88.4%), non-twin pregnancies (99.2%), with no anomalies (84.5) and predominance of vaginal delivery (51%). It was verified that had secondary education (OR = 1.7) and superior (OR = 1.9), did not perform prenatal consultations (OR = 2.0) and the presence of some type of malformation (OR = 2.1), influenced almost two timesthe odds ratio of having children by cesarean section.
CONCLUSION: The data point to the importance of increasing educational strategies during prenatal consultations by providing guidance to adolescents regarding the type of delivery and gestation, considering the high vulnerability of gestational and perinatal diseases; with humanized actions aimed at valuing vaginal delivery.

<<<<<<< .mine

GN1 © 2004-2018 Revista Adolescência e Saúde. Fone: (21) 2868-8456 / 2868-8457
Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente - NESA - UERJ
Boulevard 28 de Setembro, 109 - Fundos - Pavilhão Floriano Stoffel - Vila Isabel, Rio de Janeiro, RJ. CEP: 20551-030.
E-mail: revista@adolescenciaesaude.com